Memória e Diálogos Literários

Coordenador:  António Maria Martins Melo.

No contexto do crescente interesse pela Lusofonia e da necessidade de revalorizar a fecundidade da tradição literária clássica, e atendendo às áreas prioritárias da investigação definidas pela UCP 2015-2020), nomeadamente a Área IV (Memória, mudança e inovação), mas sem esquecer também a Área III (Cidadania, Ética e responsabilidade social), os principais objetivos deste Grupo de Investigação são:

. refletir numa perspetiva comparada sobre os processos de presença da memória literária greco-latina na literatura portuguesa moderna e contemporânea;
. analisar comparativa e intertextualmente demonstrações plurais da presença da memória literária em autores modernos e contemporâneos.

Privilegia-se uma articulação interdisciplinar: esta investigação literária não prescinde de uma ampla contextualização linguística, histórico-cultural e filosófica, buscando-se o desenvolvimento de laços com centros de investigação nacionais e internacionais.

As atividades planeadas visam:

. a renovação do saber e legado das literaturas da Antiguidade greco-latina e fecundidade da sua presença na literatura e cultura portuguesas;
. a memória literária e processos de receção: temas, topica, arquétipos, mitos e figuras;
. as formas de reescrita intertextual e comparatista do legado da tradição literária: representações do feminino; articulações entre paisagem e literatura;
. a dinâmica entre tradição e inovação literárias: prolongamentos e re-atualizações da herança poético-retórica;
. a exploração de ligações relevantes entre os estudos literários e outras perspetivas – da filosofia à psicologia;
. a aplicação da mais atualizada fundamentação teórica e metodológica no campo dos estudos literários, mais especificamente no domínio da crítica comparatista.

A estratégia visada é aprofundar uma maior articulação interdisciplinar entre os grupos de investigação a partir do cluster da memória, explorando a dialética entre tradição e inovação, analisando os processos de criatividade, intertextualidade e integração conceptual; a relação entre narrativa e identidade; e as relações entre educação, exempla e memória, articulando as dimensões do sagrado, dos ritos e da memória.

Este quadro interdisciplinar será reforçado através da colaboração com instituições da região envolvente, concretizando cooperações e disseminando conhecimento das investigações.